Ergonomia no ambiente de escritórios

Um escritório produtivo é uma estrutura complexa, na qual todos os elementos devem ser planejados minuciosamente, para que exista uma total coordenação entre eles. Dentre os diversos fatores de importância que devem ser levados em consideração num projeto de escritórios, ou seja, fatores técnicos, organizacionais e arquitetônicos, destacamos o fator humano.
Os seres humanos passam boa parte de suas vidas nos locais de trabalho, daí o cuidado com que um ambiente de trabalho deve ser planejado. Sensibilidade e compreensão das necessidades humanas, aliadas ao ponto de vista econômico, técnico e estético, formam um conjunto indispensável no estudo dos escritórios.
Nas últimas décadas, grandes transformações têm ocorrido nos ambientes de escritórios, porém, a mais importante foi a implementação dos chamados escritórios panorâmicos, paisagísticos ou abertos. Estes escritórios, em oposição às pequenas salas, transformaram-se em amplos ambientes, onde um número cada vez maior de pessoas exerce as mais diversas funções. Os escritórios abertos visam sempre distribuir os departamentos de forma a se conseguir uma visualização global de todo ambiente de trabalho. Facilitam a interligação de grandes áreas, possibilitando flexibilidade para melhor utilização do espaço e maior aproveitamento de iluminação e ventilação.
Os problemas existentes em um ambiente de escritório são mais complexos do que se imagina. Tudo irá funcionar bem se estiver bem planejado e organizado. Para se chegar a um resultado satisfatório, um longo caminho organizacional tem que ser percorrido. Uma estrutura organizada é como um organismo humano, onde a disposição das partes ou dos elementos do todo, coordenados entre si, tem uma relação em comum - a própria vida desse organismo.
Um escritório excelente tem que ter as mesmíssimas características de um organismo, ou seja, os elementos são coordenados entre si, e este é o grande desafio deste ambiente. Devemos ter em mente que um dos maiores desafios da organização eficiente e moderna é ter um ambiente interativo e, neste ambiente, o desafio é administrar pessoas com seus valores e crenças.
Um escritório com a complexidade de seus problemas, tanto materiais quanto humanos, requer uma estrutura muito bem planejada e organizada, para que possa funcionar racionalmente dentro de uma otimização de custos e eficiência. Podemos afirmar que as bases dos escritórios produtivos estão relacionadas, entre outros, com os aspectos de ergonomia, praticidade, flexibilidade, visual, fluxo, racionalização e arquitetura dos espaços.
Dentro do contexto de Ergonomia, como a Ciência do Conforto que busca o ponto ótimo entre conforto e produtividade, em ambientes de escritórios deve-se levar em consideração alguns fatores que, com maior ou menor intensidade interferem no rendimento da máquina humana, como:

a) Aspectos Técnicos: iluminação, acústica, temperatura interna, formato do ambiente, localização, etc.
b) Materiais: móveis, arquivos, armários, divisórias de ambiente, etc.
c) Aspectos Psicológicos: definição e fronteiras dos espaços, agrupamento de pessoas, comunicação humana, cores, design, configurações do layout, etc.

A Norma Regulamentadora NR-17, que aborda Ergonomia, procura estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho do mesmo. Para os escritórios, são condições ambientais em termos de conforto:

1. os níveis de ruído devem estar de acordo com a Norma Brasileira NBR 10152, ou seja, de 30 a 65 db(A). Lembramos que níveis sonoros superiores aos estabelecidos são considerados desconfortáveis, sem necessariamente implicar em risco de dano à saúde, porém, não deverão ultrapassar 80 db(A);
2. A temperatura deverá ser a efetiva, obtida com termômetros de bulbo seco, bulbo úmido e anemômetro (mede velocidade do ar). A temperatura efetiva deverá se situar entre 20º e 23º C, conforme determina a Norma. É recomendável, como temperatura de bulbo seco, para os meses de verão de 23º a 25º C e, nos meses de inverno, de 20º a 22º C;
3. A velocidade do ar deve ser inferior a 0,75 m/s;
4. A Norma determina que a umidade relativa (UR) do ar não deve ser inferior a 40%. Para os meses de verão ou nas regiões tropicais deve ficar entre 40% e 60% e, nos meses de inverno ou nas regiões temperadas, de 35% a 65%. A UR (%) depende da temperatura ambiental, mas deverá situar-se acima de 50%, com o objetivo de evitar o aparecimento de eletricidade estática e proteger a pele e os olhos do ressecamento; deverá ser evitada umidade do ar acima de 65%, pois esta situação é tão desconfortável quanto a baixa umidade;
5. A iluminação geral deve ser uniformemente distribuída e difusa. Os níveis mínimos de iluminação são os valores estabelecidos na NBR 5413, norma brasileira registrada no INMETRO. Esta Norma determina que a iluminação deve se situar entre 500 e 1000 lux. A escolha de luminárias para um ambiente de escritórios é de fundamental importância pois, dependendo do posicionamento dos computadores no layout, poderão ocorrer reflexões nas telas dos monitores, gerando um grande desconforto para os usuários. Recomendamos para estes ambientes luminárias com refletores e aletas parabólicas em alumínio anodizado.

A observação e o cumprimento dos parâmetros relacionados com ruído, temperatura, qualidade do ar, iluminação, etc. são fundamentais para se buscar equlíbrio, conforto e produtividade da máquina humana.

Fatores de desconforto que podem interferir no desempenho das pessoas
- Temperatura: interfere no humor, bem-estar e desempenho;
- Qualidade do ar: interfere no bem-estar e saúde;
- Iluminação: pode causar depressão, cansaço e stress;
- Ruído: pode causar irritabilidade e falta de concentração;
- Layout: pode causar depressão, irritabilidade, etc.


Antonio Francisco Abrantes,
Instrutor da IMAM para o curso "Ergonomia Industrial".
Tel. (0--11) 5575 1400
   imam@imam.com.br

Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br .