Proteção e identificação das
embalagens na armazenagem

A separação de pedidos no armazém pode ser imaginada como uma operação de embalagem. Em um armazém de bens de consumo, grandes embalagens são recebidas, por exemplo, em cargas fechadas ou cargas paletizadas, e fracionadas em unidades menores - em caixas de despacho, conforme os pedidos são separados. Os pedidos são então reembalados em cargas mistas para entrega à clientes, como por exemplo, varejistas. Às vezes, os pedidos são tão pequenos que os itens individuais são separados das caixas de despacho e reembalados para entrega. Em muitos casos, a embalagem de entrega é simplesmente a caixa original ou palete reembalado com uma carga combinada. Em outros, paletes ou caixas retornáveis são usados para entrega aos varejistas. Armazéns modernos frequentemente são chamados Centros de Distribuição (CD), para enfatizar que apenas lucram movimentando mercadorias. Para um CD, a estocagem representa uma operação que não agrega valor ao produto. 

Produtividade
A produtividade da armazenagem é muito importante na análise de valor logístico, porque a separação de pedidos, o manuseio e a movimentação de materiais exigem intensa mão-de-obra. Indicadores sofisticados frequentemente são usados para acompanhar e gerenciar a produtividade.
Exemplos de indicadores de produtividade na armazenagem são caixas separadas por hora, veículos carregados ou descarregados por hora, e paletes recebidos ou estocados por hora.
A embalagem pode agregar produtividade às operações de separação de pedido, quando os produtos são vendidos e separados em quantidades nas quais as caixas não precisam ser abertas ou fracionadas. A estocagem é mais eficiente quando as embalagens são densas e maximizam o uso do volume. A prioridade na distribuição é acelerar o processo de atendimento do pedido e muitos armazéns transformaram-se em uma grande área de "cross docking", que rapidamente montam pedidos de carga combinada conforme os embarques são recebidos, ou simplesmente transferem cargas já separadas de um único fabricante, dos veículos de viagem para os de entrega.
Em situações de "cross docking", existe um aumento de demanda por embalagens de dimensões padrão ou modulares, para aumentar a eficiência das operações.
Muitos armazéns estocam e separam diretamente das prateleiras. A embalagem ajuda a maximizar o aproveitamento do volume, quando caixas de despacho e cargas paletizadas são dimensionadas para adequar-se aos espaços disponíveis.
A embalagem também contribui para aumentar a produtividade na movimentação de paletes. A estabilização da carga, torna mais fácil e segura sua movimentação. Uma boa distribuição de peso e um centro de gravidade bem dimensionado, aumenta a segurança na movimentação do palete e reduz a probabilidade de avarias. Alguns armazéns ainda servem como uma significante função de estocagem. As embalagens usadas para estocagem devem oferecer resistência suficiente para suportar a compressão e para proteger durante o empilhamento. A componente da compressão que atinge o produto é afetada pela característica e dimensionamento da embalagem, pelo padrão de empilhamento adotado, umidade relativa e o tempo. A falha de compressão de uma pilha pode não apenas danificar a mercadoria, mas também é um risco de segurança, pois esta pode vir a entrar em colapso e ferir funcionários.
Quando as embalagens são movimentadas muitas vezes nos armazéns, elas precisam oferecer proteção contra impactos. Como frequentemente também são embarcadas com cargas mistas, elas precisam oferecer também proteção contra o empilhamento e perfuração por outros tipos de embalagens. Elas deverão ser compatíveis ou modulares, para o empilhamento e maximização do volume. Existem também alguns softwares que assistem e podem ajudar a planejar a melhor modulação de paletes e embalagens para cargas mistas.

Simbologia nas embalagens
Outra função da embalagem é tornar fácil a localização dos itens dentro do armazém quando da separação de pedidos ou qualquer outra operação de movimentação. É essencial que a identificação da unidade de manutenção de estoque (SKU) seja fácil de ser localizada e suas informações lidas, de forma automática ou mesmo visual.
As marcações deverão ser concisas e legíveis, nos quatro lados se necessário. A informação essencial inclui o código do produto, descrição do mesmo, fabricante, marca, dimensão e quantidade, e não deveria ser obstruída por mensagens promocionais. As embalagens precisam ser lidas quando recebidas, dispostas no local correto, separadas, reembaladas e despachadas. A boa comunicação na embalagem pode evitar erros nas diversas operações no armazém.
Em muitos sistemas logísticos, não existe cooperação suficiente entre os fornecedores de um armazém para que todos utilizem uma simbologia comum de identificação automática. Uma solução de embalagem para armazéns automatizados é o uso de paletes cativos, que possuem uma placa com etiqueta de código de barra. A placa de identificação pode ser usada para rastrear e registrar a quantidade, o status da carga, o endereço onde ela se encontra e outras informações que servem de subsídio ao gerenciamento de um armazém.

agosto/2001

José Maurício Banzato,
Diretor da IMAM Consultoria Ltda., de São Paulo.
imam@imam.com.br

Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br .