Os Desafios na Armazenagem

À medida que saímos da década de 90 e entramos no século XXI, precisamos considerar quais tendências prevalecerão.
Cada vez estaremos estocando menos produtos, já que os métodos de resposta rápida favorecerão a produção de acordo com as necessidades.
Atualmente, você pode utilizar softwares que assumem o controle total do seu inventário e gerar ganhos de produtividade da ordem de 15%. Você também pode aumentar a acuracidade do seu inventário para atingir o padrão de 98%.
As máquinas de separação de pedidos (não as empilhadeiras selecionadoras) e as estanteiras dinâmicas para a separação sem papéis estão tornando mais rápido o trabalho de atendimento aos clientes.
A movimentação e a estocagem automática fornecem melhorias tanto na produtividade quanto na acuracidade, juntamente com os elevados giros de inventário.
O serviço ao cliente está se tornando um fator muito mais importante na entrega dos produtos no momento exato, com melhores condições e na quantidade certa.
A simples mecanização, visando o máximo aproveitamento do espaço, aumenta a densidade de estocagem.
Olhando para trás, nos últimos anos muitos previram o desaparecimento dos armazéns -muitas vezes- especialmente com a revolução do Just-in-Time (JIT), da Resposta Rápida, da Resposta Eficiente ao Cliente (ECR), da emtrega direta no ponto de venda e da distribuição de fluxo contínuo. Temas comuns representados por estes programas provocaram a imaginação das pessoas - um mundo sem armazéns!! E os atacadistas, consolidadores e centros de distribuição? Aparentemente, esse mundo pode utilizar transmissão via EDI, internet, etc.
Agora de volta à realidade: tenha certeza de que os armazéns continuarão a desempenhar um importante papel na cadeia de abastecimento da logística. Podemos estar certos de que a armazenagem continuará a ser uma função dinâmica, direcionada pelas forças do mercado, visando a melhoria contínua.
A seguir, profetizamos algumas tendências no campo da armazenagem:

1. FOCO NO CLIENTE
A maioria das empresas de sucesso, de rápido crescimento e lucro, ouviu seus clientes. Elas sabem que o cliente deseja valor, a baixo custo e alta funcionalidade.
Seu foco na qualidade vai além da produção, com embarques consistentemente completos, acurados e em tempo. Elas sabem que a armazenagem em si não agrega valor - mas tem a utilidade de oferecer o produto certo, no momento certo, e tornar tal produto disponível ao cliente.

2. CONSOLIDAR OPERAÇÕES
Somente os fortes sobreviverão. Essa lei da selva prevalecerá em todas as situações, incluindo a armazenagem e a distribuição. Algumas organizações investem em si mesmas, enquanto outras consomem o lucro.
A década de 90 está se caracterizando por fusões e aquisições. Os clientes já deram conta de que é uma vantagem competitiva a redução da base de fornecedores. O resultado foi e continuará a ser um número menor de centros de distribuição.

3. FLUXO CONTÍNUO DE MATERIAIS E INFORMAÇÕES
As práticas de manufatura desenvolvidas na década de 80 demoraram uma década para chegar à distribuição física. Os fabricantes compreenderam que, uma vez que tenham estabelecido parcerias com fornecedores, simplificaram as atividades de movimentar e armazenar.
A tendência para embarques mais frequentes - e mais atividades de recebimento, estocagem, separação e embarques - colocará maiores demandas nos sistemas de movimentação de materiais utilizados nos armazéns. Esta tendência incluirá empilhadeiras, transportadores contínuos, contenedores, etc.
As demandas nos sistemas de estocagem serão diferentes, pois os tamanhos das cargas movimentadas e estocadas diminuirão. Ao mesmo tempo, a proliferação de unidades distintas em estoque exigirá mais locais de estocagem e, por causa da consolidação, haverá maiores centros de distribuição.
Tal como o fluxo de materiais está se tornando mais contínuo, o fluxo de informações também está mais contínuo. Sistemas de informações "on line" e até mesmo em tempo real estão substituindo o antigo processamento em batch.

4. ÊNFASE NOS SERVIÇOS CUSTOMIZADOS
Se você não fizer alguma coisa para atender aos seus clientes, alguém o fará! Você sabe disso. Portanto, aplique etiquetas personalizadas de seu cliente, entregue na embalagem personalizada, gerencie o inventário para ele, torne as mercadorias "prontas para venda" no ponto de distribuição e, até mesmo, faça a transferência de informações via EDI.

5. USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
Talvez a tecnologia mais popular na armazenagem seja o código de barras e o uso da radiofrequência. Naturalmente, a informática é uma ferramenta, como uma empilhadeira, que, quando adequadamente aplicada, executa uma tarefa de modo eficiente e eficaz.
Sempre que um material é movimentado por qualquer meio, poderá ser registrado automaticamente. O poder do computador é aproveitado para direcionar as atividades de selecionar os recursos que fazem o melhor uso destes recursos, ao mesmo tempo que satisfaz as necessidades dos clientes.

Reinaldo A. Moura,
Diretor da IMAM Consultoria Ltda., de São Paulo.
Tel. (0--11) 5575 1400       imam@imam.com.br

Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br .