Quando é preciso um consultor

Um projeto sistêmico de embalagem deve atender às necessidades de marketing, diferenciando produtos no mercado para aumentar as vendas, e da área técnica, que objetiva a proteção dos itens até a utilização pelo consumidor durante toda a cadeia logística.
A embalagem deve proteger o produto, atender às necessidades do consumidor, refletir o nível de qualidade por meio de sua imagem, conter informações legais, de uso e de apelo de venda.
Outra grande dificuldade encontrada frequentemente nas empresas é a montagem de uma estrutura eficaz para gerenciar embalagens, do projeto até a compra. Um consultor com larga experiência poderá assessorá-lo desde o treinamento de sua equipe até a definição da metodologia para novos projetos.

Visão do todo
É de vital importância que os especialistas em embalagem conheçam suas atribuições e que todo o pessoal de apoio, recebimento, qualidade, depósito de matérias-primas e de produtos acabados, abastecimento e produção saibam exatamente como proceder e quais os cuidados no manuseio, movimentação, estocagem e transporte de mercadorias embaladas.
Algo comum é apontar a embalagem como responsável pela avaria de um produto. Contudo, muitas vezes, o projeto do produto permite alterações que atendam às necessidades de movimentação, armazenagem e transporte, com um custo muito menor do que se alterássemos o projeto da embalagem para garantir determindada resistência mecânica. Os ensaios de simulação de transporte são usados para descobrir fragilidades nos produtos, e detectar a necessidade da mudança no próprio item.
Outro fato de grande incidência é o que ocorre em empresas que possuem um setor de desenvolvimento de embalagens descentralizado, como os projetos que ficam a cargo de áreas técnicas. Essas áreas cuidam de determinadas famílias de produtos e, muitas vezes, o profissional que está desenvolvendo o trabalho não tem a visão global, não visualisando, portanto, as vantagens da escolha para itens novos e embalagens já existentes.
À primeira vista pode não ser interessante adaptar a embalagem, contudo, quando aumentamos a demanda no fornecedor, custos fixos são diluídos pela maior quantidade e alcançamos um custo unitário pequeno, que pode justificar muitos investimentos, tornando-se muitas vezes um diferencial de vendas no mercado competitivo atual.

Aspectos técnicos
O receio de investir novas tecnologias, como os ensaios de simulação de transporte elaborados em laboratórios, pode estancar as oportunidades de redução de custos, de desenvolvimento de produtos e embalagens que possam atender a mercados mais distantes.
Além disso, a falta desse tipo de ensaio pode prejudicar também o conhecimento do desempenho do sistema de embalagem, interferindo na negociação com fornecedores e podendo prejudicar a empresa. Ensaios de transporte, como mesa de vibração, queda livre, compressão estática e dinâmica, choques, etc., podem determinar parâmetros importantíssimos relacionados ao desempenho das embalagens no seu manuseio, armazenagem e transporte.
Outro aspecto muito importante é o do aproveitamento volumétrico, se possível modular, com os armazéns e meios de transporte interno e externo, por meio do projeto adequado de embalagens. Ele permitirá a melhor eficiência no aproveitamento de espaço da carga unitizada, bem como desta nos equipamentos de armazenagem e nos prédios. Esta análise pode ser desenvolvida com apoio de softwares analíticos existentes no mercado.
Os softwares funcionam como ferramenta de trabalho para facilitar a escolha e otimização de itens de embalagem que permitam a diminuição da movimentação interna, a redução do número de espaço ocupado nos depósitos por item empacotado e, portanto, a necessidade ou não de ampliação de áreas de estocagem, que podem  significar grandes investimentos para a empresa.

O consultor
De maneira geral, a contratação de um consultor de embalagens tem como objetivo reduzir custos de material e mão-de-obra, bem como melhorar a qualidade e a imagem da embalagem aumentando a proteção do produto no transporte, além de promovê-lo no mercado, por meio de uma imagem consistente.
Além dos aspectos de projeto para proteção do produto e de imagem como apelo de venda ao mercado, uma outra função da embalagem a ser pensada é a logística, que visa o melhor aproveitamento de espaços em contêineres, posições-palete nas estruturas porta-paletes, agilidade na movimentação, expedição de produtos e redução de frete no transporte e controle de estoques, possuindo para isso características planejadas.
Se, de maneira sazonal ou durante o ano, sua empresa necessita de um maior número de profissionais de embalagem para suprir demandas de projetos de melhoria de qualidade, redução de custo e dos números de itens comprados, ensaios de simulação de transporte, testes de estocagem e transporte (homologação), projetos de novos produtos, especificações de embalagens, treinamento de pessoal de projeto, produção, recebimento e expedição referente aos cuidados de manuseio e transporte de embalagens e produtos acabados, não tenha dúvidas: chame um consultor de embalagem!

março/2002

Roberto Bressane Cruz Filho,
Consultor especializado em Embalagens.

Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br .