Contratando um Consultor Externo para o Projeto de MAM

Por que alguém de fora sabe mais do que nós a respeito de nossos problemas internos? Este é um antigo questionamento feito pelas organizações que necessitam resolver seus problemas internos ou desenvolver os seus sistemas logísticos, explorando oportunidades de melhoria.
Mas será que nosso pessoal interno não tem a capacidade de desenvolver um projeto aparentemente simples de Logística de Movimentação e Armazenagem de Materiais? A questão é muito mais abrangente do que muitas empresas imaginam!
Competência técnica para desenvolver o projeto em questão, muitas vezes os profissionais internos até possuem e, em alguns casos, maior que os consultores externos, se analisarmos os problemas específicos de uma determinada empresa. Porém, um consultor externo não desenvolve apenas este papel.
Em alguns momentos, independentemente de todas estas funções que pode desenvolver, a simples figura do consultor assegura um forte efeito da sua opinião no processo de tomada de decisão frente a outros colaboradores internos. Portanto, isto pode se tornar uma ameaça, se o consultor não for bem selecionado, ou em uma grande oportunidade, se a empresa investir em algo jamais explorado e com grandes chances de resultados.

Seleção de um consultor ou uma consultoria em logística
O processo de seleção de um agente de mudanças externo não é tão simples quanto possa parecer. A primeira dificuldade se dá pelo fato de que, muitas vezes, a empresa quer medir o conhecimento do consultor, porém não conhece o assunto. Daí surgem "consultores" em determinado assunto e, pelo fato de conhecerem um pouco mais que o seu potencial cliente, passam uma imagem inicial de profundos conhecedores do assunto ("Em terra de cego, quem tem um olho é rei", diz o ditado popular).
Porém, como já apresentado, o conhecimento sobre um determinado assunto é apenas um dos requisitos para que se possa avaliar um consultor ou uma consultoria.
Neste sentido, outras dificuldades podem surgir se não houver um processo mais objetivo para seleção do melhor parceiro. E, para ajudar este processo, sugerimos a utilização do Sistema de Seleção a seguir.

Planilha para Seleção de Empresa de Consultoria

Consultoria     A Consultoria    B
Critérios para seleção

Importância relativa (0-10)

Nota
(0-10)

Nota
Ponderada

Nota
(0-10)

Nota
Ponderada

- Experiências práticas no trabalho em questão
- Experiências no mesmo segmento de empresa
- Experiência no mercado através do nr. total de projetos desenvolvidos
- Nível de investimento em "know-how" no exterior
- Domínio de uma metodologia para condução do projeto
- Experiência em treinamento e desenvolvimento de pessoas
- Experiências em inovações técnicas com sistemas inovadores
- Experiência em Tecnologia da Informação aplicada à logística
- Competência para o gerenciamento de projeto em todas as suas fases
- Experiências em inovações comportamentais
- Capacidade para manter profissionais em trabalhos de longo prazo
- Experiências com o gerenciamento de mão-de-obra
- Facilidade de interpretação da real necessidade da empresa
- Garantias que a consultoria pode oferecer em eventuais desvios
- Metodologia para gerenciamento de projetos
- Confiança, prestígio e imagem da empresa no mercado
- Tempo de casa dos consultores envolvidos no projeto
- Preço para desenvolvimento do Projeto em questão
- Outros critérios que possam ser importantes para cada empresa
T O T A I S


Utilização da planilha
A utilização desta planilha se dá, primeiramente, pela definição dos critérios a serem adotados na avaliação das alternativas de consultorias e/ou consultores, tais como os exemplos sugeridos na planilha apresentada.
Após a definição dos critérios de avaliação, segue a definição da importância relativa de cada critério, para que alguns critérios sejam mais considerados do que outros através da escala sugerida (de 0 a 10).
A seguir podemos dar notas (0 a 10) para cada empresa que está sendo avaliada (Consultorias A, B e C e Consultores X e Y) comparando uma em relação à outra.
A multiplicação destas notas dadas a cada empresa pelo respectivo valor dado à importância relativa daquele critério originará o que denominamos de nota ponderada.
A soma das notas ponderadas obtidas para cada empresa avaliada originará o total referente à análise desenvolvida, que deverá ser comparado com os totais obtidos por cada empresa.
Este é apenas um sistema de apoio à decisão que deve ser integrado com outras ferramentas de avaliação que a empresa utiliza.
Importante, porém, é possuir um processo de escolha mais objetivo onde as pessoas envolvidas fiquem seguras com relação à empresa que estará se inter-relacionando com elas a partir da efetiva contratação dos trabalhos.
Desta forma, atenção na seleção de uma consultoria ou consultor e sucesso no seu projeto de Movimentação e Armazenagem de Materiais.

Um consultor externo pode desempenhar diversas funções na empresa:
- Definir a estrutura analítica do projeto, bem como uma metodologia de condução do mesmo, racionalizando tempo e recursos a serem investidos no projeto;
- Identificar, analisar e apresentar claramente os problemas e oportunidades para que todos na organização tenham uma mesma interpretação dos mesmos;
- Identificar fontes de apoio e resistência às mudanças, adequando a metodologia para condução do projeto;
- Considerar os fatores técnicos e comportamentais na recomendação da solução;
- Fornecer um conhecimento específico de sua experiência na área que possa inovar (mudar radicalmente) o sistema interno de movimentação e armazenagem;
- Fornecer mão-de-obra adicional para eliminar a carência de recursos que a empresa tem na condução de projetos;
- Assessorar um grupo de trabalho interno complementando as aptidões dos integrantes do grupo;
- Auxiliar no treinamento e desenvolvimento pessoal;
- Apresentar experiências distintas da realidade da empresa, subsidiando um processo de alavancagem de novas idéias e oportunidades a serem exploradas;
- Homogeneizar conceitos, centralizando esforços das pessoas envolvidas no desenvolvimento de um novo projeto;
- Gerenciar o projeto em todas as suas principais fases: Iniciação, Planejamento, Controle, Execução e Encerramento;
- Auditar o sistema periodicamente, como um agente externo e idôneo, identificando desvios e novas oportunidades durante a evolução do projeto;
- Entre outros.


Luiz Roberto Palma da Fonseca,
Consultor da IMAM Consultoria Ltda., de São Paulo.
Tel. (0--11) 5575 1400 
  imam@imam.com.br

Esta página é parte integrante do www.guiadelogistica.com.br .